Páginas

10 julho 2009

"O INCOMUM"

Quando era criança escutei uma estória de um peralta que dizia que estava se afogando e quando iam lhe salvar, ele estava apenas mentindo.A criança gostou e repetiu a brincadeira várias vezes, até que no dia em que estava realmente se afogando, ninguém acreditou, o final é presumível.
Na sua grande obra "O Princípe", diga-se de passagem, exemplar da coleção guardada no Convento do Sarney. Nicolau Maquiavel, diz que política e moral não se misturam e que a política não está englobada pela ética.
Aprendiz de Maquiavel, Zé do Sarney como ficou conhecido em sua terra natal, por ter adotado o sobrenome de seu pai, conhece muito bem as lições do Italiano-Florentino, e está no poder há 54 anos, desde quando foi eleito deputado pela primeira vez.,foi apoiador do presidente João Goulart, bem como do regime militar quando este deu o golpe de 1964, continuando tal prática sucessivamente, de apoiar todos os presidentes.
O atual senador José Sarney, candidato a vice-presidente em 1985, foi alçado ao cargo mais alto do executivo e assumiu com apoio do general Leônidas Pires, após a morte do primeiro presidente eleito pós-ditadura, Tancredo Neves.
O governo Sarney foi duramente acusado de corrupção endêmica e desequilíbrio financeiro com fraudes em licitações e beneficiamento de amigos e também marcado por vários planos econômicos mal-sucedidos que causaram astronômicas taxas inflacionárias e racionamento de comida, levando o Brasil a moratória.
O Senador perpetua-se no poder até hoje 2009 como dito anteriormente e apoia o atual presidente Lula que antigamente chamava-o de ladrão e corrupto, que hoje lhe defende,devido a interesse na eleição da Ministra Dilma Rosseuf e apoio do PMDB, partido no qual Sarney controla e dita ordens juntamente com o companheiro de escândalos Renan Calheiros.
Colecionador de escândalos, utiliza o poder político para não ser investigado, porém atualmente sofre pressão de seus compamheiros senadores por terem sido descobertas várias nomeações de parentes seus para o senado (nepotismo), juntamente com as acusações de peculato e desvio de verbas públicas para interesses particulares.
O presidente Lula que é a favor de Sarney, está enrascado pois as denúncias dos desvios de conduta de Sarney continuam aparecendo e arrastam o governo para a podridão e o que antes poderia ser visto como fator positivo agora complica o governo que se vê na iminência da instauração da CPI da petrobrás, tão repudiada pelo presidente Luis Inácio Lula da Silva.
Em todas as denúncias sofridas pelo senador Sarney, ele dissera que não sabia de nada e não tinha conhecimento, porém como a estória do começo deste texto, todos sabem tratar-se de mentira e ninguém lhe dá mais crédito.
Sarney que sempre acreditou estar ludibriando a todos e ser astucioso, terá o mesmo fim do moleque mentiroso que pensava que nunca seria castigado, desmacarado, punido?
Uma extensa e bela biografia que poderá ser prejudicada por não se considerar comum e subestimar a inteligência de todos, julgando-se superior aos seus concidadãos, e consequentemente poderá ter que renunciar ao cargo e sofrer cassação do mandato de senador da república.
Obs: No caso do moleque mentiroso, o final presumível, foi sua morte após aforgar-se em suas próprias mentiras.

3 comentários:

  1. história sem graça essa, n?
    bom final de semana, querido!

    ResponderExcluir
  2. Sem graça, mas bem realista, como a maioria das mutretas do meio político.

    ResponderExcluir
  3. Meu amigo, você vinha tão bem, tão bem, mas... "Uma extensa e bela biografia que poderá ser prejudicada"?!?! Que que é isso?! O que tem de belo num facínora que ergueu sua trajetória em cima dos roubos e desmandos políticos, sem ética alguma além daquela de quem está no poder?! Faz favor...!

    Esperando que você tenha apenas "se expressado mal", o 'post' foi muito bom e informativo! E oremos para que este sujeito tenha o fim político que merece, compraável ao fim do menino peralta!

    P.S.: os Morcegos, por acaso, também estão falando do Sarney! Abração!

    ResponderExcluir

Faça seu comentário