Páginas

07 maio 2009

O Poder da imprensa

A imprensa é considerada o quarto poder do Estado republicano, devido a sua influência em vários setores da sociedade, como formadora de conceitos, opiniões e verdades, porém devido sua tamanha relevância se fosse lhe dado o primeiro lugar, seria mais justo.

Inventada por Gutemberg a imprensa, é o canal de comunicação entre o Estado e a sociedade, sendo que alguns de seus setores são ligados ao Governo, divulgam seus programas e o apoiam de forma clientelista e outros mais comerciais estão voltados para a informação ao leitor.

No Brasil temos uma grande distorção neste setor, pois para alguns políticos a imprensa se torna um meio de controle social da população.Segundo dados, um quarto das concessões públicas de TV estavam na mão de políticos no Brasil e no Maranhão 90%, fato que se torna perigoso numa democracia onde políticos se usam desse poderoso instrumento para influenciar o voto dos eleitores.

No filé da imprensa temos algumas figuras históricas, como Fernando Collor de Melo, Antonio Carlos Magalhães, Roseana Sarney, José Sarney, entre outro proprietários de rádios, jornais e emissoras de rádio.

É importante ressaltar que na transição da ditadura para a democracia o governo federal na figura do ex-presidente José Sarney distribuiu concessões aos aliados políticos que lhe apoiassem, servindo como uma moeda de troca, sendo que o governo, quando tem a imprensa do seu lado, tabém tem a sociedade.

As campanhas das "diretas já", impechment do ex-presidente collor, expansão das idéias do regime nazista, coberura do caso da "escola-base" dão um claro exemplo da importância desse instrumento, que pode ser utilizado para o bem ou para o mal, depedendo do seu manipulador, sendo que quanto menos concentrada melhor.

Analisando no contexto maranhense percebe-se que o ex-governador Jackson Lago teve um de seus grandes erros ao alimentar os cofres da imprensa adversária que tanto o criticava, assim como não efetivar a implatação de um meio comunicação forte, diga-se a rádio Timbira que poderia fazer frente aos diversos meio de comunicação do chefe político marahense José Sarney,Roseana Sarney, que lhe atacaram assim como a seus secretários do começo ao fim do governo.

A imprensa deve ser livre e pluralista afim de não monopolizar a informação e que hajam opções ao cidadãos e os mesmos não fiquem alienados, por um único canal de informação.
Todo cidadão deve estar informado dos acontecimentos, diversificando suas fontes para ter uma dimensão geral dos fatos.
Vale ressaltar que no Maranhão como anteriormente dito, a imprensa é monopolizada por um setor ligado a políticos que usam esta conforme seus interesses, diga-se Jose Sarney e companhia que na época das eleições podem destruir ou construir a imagem de qualquer candidato que lhes convenha.
Portanto a imprensa torna-se um instrumento maléfico nas mãos desses agentes, visto que o poder concentrado se torna tirania.

Um comentário:

  1. pensei que o meu blog ovianense.com estivesse em sua lista de blogs!

    Se possível queria a gentileza de inserir!

    Obrigado!

    O seu está na minha lista! Flw

    ResponderExcluir

Faça seu comentário